segunda-feira, 21 de junho de 2010

Poema bomba




Poesia é veneno, é bomba
Artilharia pesada
Que acerta a alma
Não erra
Alcança
Nunca se cansa.

Poesia é alento
É o último recurso
De uma vida sofrida
Marcada

Bomba, veneno, pancada
O poema explode

Não tem medo de nada.

[Eduardo]

3 comentários:

Angels 21 de junho de 2010 21:32  

Muito bom o poema Edu
gostei

Barraco Das Ideias 21 de junho de 2010 21:42  

maravilha de poesia
bem o o que penso sobre a propria
parabéns
abraço a todos

Eduardo Kawamura 2 de julho de 2010 10:51  

Valeu o comentário, galera.

Postar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger.